CONTATO

  • (49) 3323-5177
  • (49) 3323-2122
  • (49) 3323-0516

Destaque

Fotografia destaque

14/04/2014

Mais Médicos: 117 novos médicos estrangeiros chegam a Santa Catarina...

Desvendado homicídio no Extremo-Oeste

Notícia postada em 22/06

POLÍCIA CIVIL ESCLARECE HOMICÍDIO EM CUNHA PORÃ


Vilmar da Rocha é suspeito de mandar matar Décio Giordani



Divulgação Policia Civil

A polícia Civil, por meio da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de São Miguel do Oeste, esclareceu um misterioso crime de homicídio que foi constatado no dia 16 de janeiro de 2012, no município de Cunha Porã, quando foi localizado o corpo de Décio Giordani (65 anos) que estava parcialmente enterrado às margens da BR 158.
Em laudo necroscópico, constatou-se que Décio havia sido morto com cinco disparos de arma de fogo. Realizadas diligências investigatórias no interior do município de Sul Brasil onde residia Décio Giordani, os agentes da DIC verificaram que a vítima tinha uma vida itinerante (andarilho) e, poucos dias antes de morrer, tinha montado um acampamento em uma propriedade rural naquele município. Na “residência” da vítima Décio, os Agentes encontraram indícios de que havia sido raptado no dia de sua morte, considerando que localizaram as botas que a vítimas constantemente utilizava. Quando foi encontrado morto, Décio estava vestido normalmente, porém descalço.  
Algumas testemunhas, vizinhos de Décio em Sul Brasil, um dia antes do cadáver ser localizado, teriam visto um veículo GM Celta escuro  que foi em direção à morada de Décio e retornou buzinando constantemente quando passou pelas testemunhas, possivelmente para evitar que ouvissem os gritos de socorro da vítima.
Os Executores do Crime
As investigações em relação aos executores do crime levaram os policiais da DIC aos suspeitos ELOI ADRIANO LAGNI DE OLIVEIRA, vulgo “Lenheiro”, e  ODAIR JOSÉ CAMARGO, vulgo “Chiquinho”.  ELOI e ODAIR, na época da morte de Décio Giordani, já eram procurados pela polícia por serem foragidos da justiça e acusados de vários roubos a veículos e em residências que estavam ocorrendo na região do Extremo Oeste, roubos que cometiam com extrema violência.
Nos dias 12 e 13 de fevereiro, a Polícia deflagrou a “Operação Cambucica”, com o fim de localizar e prender a quadrilha composta por ELOI ADRIANO LAGNI DE OLIVEIRA, ODAIR JOSÉ CAMARGO e outros.  
Eloi foi morto em confronto com policiais da DIC na noite do dia 12 de fevereiro deste ano, após resistir à prisão e atirar contra os policiais; Odair foi preso no dia 13 de fevereiro juntamente com mais sete pessoas que tinham envolvimento com os roubos que ocorriam na região.
Com Odair José Camargo foi apreendido o revólver calibre 38 que foi utilizado para matar Décio Giordani, conforme constatou os policias por meio de perícia de comparação balística.

O Mandante Do Crime

Na continuidade das investigações, chegou-se ao suspeito Vilmar da Rocha que, segundo constataram os agentes da DIC, teria relação direta com os executores do crime, Eloi e e Odair, à época do homicídio, e tinha desentendimentos com a vítima DÉCIO GIORDANI por conta de negócios realizados entre VILMAR e DÉCIO.
Os agentes verificaram que um dia após a execução de DÉCIO, Vilmar teria arrecadado dinheiro por meio de empréstimos e da venda de seu veículo a uma garagem em Mondaí/SC. Este valor arrecadado foi repassado por VILMAR aos executores do crime. Verificaram também que haviam desentendimentos entre a vítima e o suspeito VILMAR em relação a negócios realizados entre eles, e que Décio teria adquirido dívidas em nome de VILMAR.
Na quarta-feira (20/06/2012), os policiais da DIC realizaram a prisão de VILMAR DA ROCHA que foi decretada pelo juízo da Comarca de Cunha Porã. Também deram cumprimento a Mandado de Busca e Apreensão na residência do suspeito, onde localizaram documentos de uma propriedade que havia sido comprada pela Vítima Décio Giordani e que, com a morte de Décio, havia sido repassada fraudulentamente para a esposa de Vilmar.
VILMAR DA ROCHA, diante das provas que lhe foram apresentadas pelos agentes da DIC, confessou ser o mandante do crime e que os executores seriam ODAIR 
JOSÉ CAMARGO (Chiquinho) e ELOI ADRIANO LAGNI DE OLIVEIRA (Lenheiro) utilizando um GM Celta roubado na região poucos dias antes do homicídio; 
VILMAR confirmou também ter pago o valor de R$ 8.000,00 para ELOI e ODAIR executaram DÉCIO GIORDANI, alegou que encomendou o crime por que Décio teria ameaçado sua família.
ODAIR JOSÉ CAMARGO (Chiquinho) também teve a prisão decretada e está recolhido na Penitenciária Estadual de Chapecó. 
Segundo o Delegado Albert Silveira, coordenador da DIC de São Miguel do Oeste, ODAIR responderá por sequestro, homicídio qualificado e ocultação de cadáver, e VILMAR DA ROCHA será também indiciado por homicídio qualificado. O Inquérito Policial que apura o caso será concluído nos próximos dias.




Fonte: Polícia Civil SMO

Conteúdo disponível sob Licença Creative Commons     |     Desenvolvido por Infoway Soluções em Informática