CONTATO

  • (49) 3323-5177
  • (49) 3323-2122
  • (49) 3323-0516

Destaque

Fotografia destaque

26/09/2017

Chuva com granizo causa alagamentos em Xaxim, Xanxerê e Ponte Serrada. Chapecó não registrou ocorrências por causa da chuva...

Últimas
da
Chape

Caso Chiarello volta a tona

Notícia postada em 11/09

As vésperas de completar cinco anos, o caso Chiarello vem a tona novamente em Chapecó.

O Fórum em Defesa da Vida, formada por movimentos sociais, sindicatos e ONGS, quer um Juri Popular, com o objetivo de reabrir as investigações.

O Programa Estúdio Condá desta segunda-feira, com Raquel Lang, contou com representantes do Fórum em Defesa da Vida e o Juiz aposentando pelo Estado do Maranhão, Jorge Moreno.

O Magistrado estudo o processo de Chiarello e em meados de 2018, coordenara um Juri Popular em Chapecó.

O juiz foi afastado da ativa da Magistratura por enfrentar o clã Sarney, por garantir o direito ao registro de nascimento da população.

No Maranhão o registro de nascimento era usado como moeda de troca em períodos eleitorais.

Com voto do Juiz Joaquim Barbosa, o CNJ afastou Jorge Moreno, que estuda em Chapecó o processo da morte de Marcelino Chiarello.

Questionado no Programa Estúdio Condá, o magistrado afirma que há indícios de equívocos, ilicitudes e prevaricação nos autos.

Jorge Moreno ilustra que estará em Chapecó para um Juri Popular, e de que vai se basear tão somente no processo.

O Magistrado resgata os 15 primeiros dias após a morte de Chiarello, e defende o conhecimento do perito Dr. De Marco, especialmente a diferença de suicídio e homicídio.

Jorge Moreno questiona intervenções e pressões externas, sobre o laudo do perito.

No caso Marcelino Chiarello, o judiciário não deu por encerrado. Todavia o Ministério Público pediu o arquivamento, que pode ser reaberto a qualquer momento.

O magistrado também questiona as chamadas do telefone de Chiarello que teriam sido apagado, e que consta dos autos, assim como um dos depoentes afirmou conhecer o policial que realiza as escutas do telefone de Chiarello.

Por fim, o magistrado Jorge Moreno, ilustra que todo o estudo em operação é para novamente apurar a causa mortis, e questiona as intervenções de outros poderes no caso.

Na tarde desta terça-feira, 17h30, na Praça coronel Bertaso, o fórum em Defesa da Vida realiza o lançamento do Juri Popular, sobre o Caso Marcelino Chiarello.

Conteúdo disponível sob Licença Creative Commons     |     Desenvolvido por Infoway Soluções em Informática